17. Pensamentos ~ Bando 4

I.
A música da Esperanza Spalding é um escafandro em meio a enchente.

II.
A batalha mais difícil é aquela que travamos silenciosamente em nosso espírito: a de não deixar que corrompam nossa liberdade de pensamento.

III.
A realidade é brutal: não liga para as nossas frágeis narrativas – a qual nos agarramos com todas as forças para manter a ilusão de que estamos entendendo o que está acontecendo. Diante da complexidade do mundo somos náufragos lutando para sobreviver contra a imprevisível tempestade.

IV.
Jamais permita que te coloquem em um curral mental. O espírito livre se manifesta no ato de coragem de dizer: NÃO.

Muitas pessoas não entenderão e taxarão de tudo quanto é nome pejorativo. Escute com paciência e mente aberta, mas não ceda às pressões externas que te coloquem em contradição com a tua consciência.

“O talento se aprimora na solidão, o caráter na agitação do mundo.” (Goethe)

V.
Aos que me amam e respeitam: a leveza de um beija-flor.
Aos que me menosprezam e me confrontam: a firmeza de uma rocha.

VI.
Quem questiona o caráter de outra pessoa por ela pensar diferente, demonstra o caráter que tem.

VII.
Na luta contra um inimigo que desconhece você já entra derrotado. Conheça-o, da alma às armas; prepare-se em silêncio; e então quando chegar o momento: afirme-se.

VIII.
É no arado diário e solitário do espírito que brotarão os melhores frutos para oferecer aos vizinhos.

IX.
A teoria nos serve como uma descrição dos padrões da realidade, e não para moldá-la. A teoria que não sobrevive ao teste na realidade não tem serventia – e é danosa.